Início / Cultura / O elogiado espetáculo ‘Era Medeia’ encerra sua temporada virtual gratuita, em 18 de outubro, no canal do Youtube da Firjan SESI

O elogiado espetáculo ‘Era Medeia’ encerra sua temporada virtual gratuita, em 18 de outubro, no canal do Youtube da Firjan SESI

Com supervisão de Cesar Augusto e texto e direção de Eduardo Hoffmann, peça faz uma reflexão sobre machismo, abuso de poder e exposição da vida privada

Você sempre age de acordo com seus princípios éticos? Ou será que muitas vezes suas ações e comportamentos contradizem o seu discurso? A partir dessa reflexão se desenrola a trama do elogiado espetáculo Era Medeia, que encerra sua temporada virtual gratuita, em 18 de outubro, no canal do Youtube da Firjan SESI (www.youtube.com/c/FirjanSesi). Os espectadores vão assistir a uma versão da peça, gravada em setembro, no Teatro Firjan SESI Centro. Com supervisão de Cesar Augusto, texto e direção de Eduardo Hoffmann e argumento de Marina Monteiro, a montagem se passa durante os ensaios de uma adaptação da tragédia “Medeia”, de Eurípedes, pano de fundo para uma discussão que também passa pelo machismo, o abuso de poder, exposição da vida privada e a importância do processo na criação artística.

Em cena, estão os atores Eduardo Hoffmann e Isabelle Nassar, que vivem Pedro Lobo, um diretor excêntrico, e Verônica Albuquerque, uma atriz insegura. O público é convidado a assistir a um ensaio aberto do espetáculo no qual estão trabalhando juntos. Aos poucos, o passado deles vem à tona, e os espectadores passam a ser testemunhas de um acerto de contas íntimo entre os personagens.

“A escolha de Medeia como o texto que os personagens ensaiam tem um propósito: é um ícone da representação de uma mulher que rompe com os padrões sociais estabelecidos. Apesar de tomar atitudes cruéis, ela é uma personagem que não fica à mercê das decisões e escolhas dos homens à sua volta”, explica o ator e diretor Eduardo Hoffmann. “E aí é que está a contradição. O diretor está montando Medeia justamente para enaltecer a força dessa mulher que rompe com os padrões repressivos e, no entanto, o modo como ele lida com a atriz (que já foi mulher dele) é extremamente repressor e abusivo”, acrescenta.

A partir da exposição da vida íntima do ex-casal, “Era Medeia” também faz uma reflexão sobre os motivos de o público de hoje parecer se interessar mais pelos bastidores da criação do que pela própria criação. “O fato de estarmos vivendo uma realidade social e política extremamente espetacularizada contribui para que o caráter ficcional da arte esteja cada vez mais com sua potência diminuída. E já faz bastante tempo que os reality shows tornaram as pessoas personagens mais interessantes aos olhos do público do que os personagens criados nas obras de ficção. É uma extrema necessidade de ser arrebatado pelo REAL, até porque o cotidiano atual está extremamente teatralizado”, analisa Hoffmann.

Sinopse

A relação pessoal entre um diretor e uma atriz é exposta durante o ensaio aberto de uma adaptação da tragédia Medeia.

Eduardo Hoffmann (autor, diretor e ator)

Eduardo Hoffmann é ator e professor de teatro, formado em Artes Cênicas em 2006 pela Universidade do Estado de Santa Catarina. Também trabalha como autor e diretor de espetáculos. Nascido em Lages (SC), mora no Rio de Janeiro desde 2009, onde atua como professor de teatro na rede municipal desde 2011.  Ator, autor e diretor do espetáculo “Era Medeia”, que estreou em 2019 no Sesc Copacabana, e que segue em repertório em versão on-line e presencial (2021). Idealizador, escritor e diretor da web-série “O corpo casa”, lançada em 2020 por meio do edital Cultura Presente nas Redes. Fez participação na série “Anjos de Hamburgo”, em fase de produção pela Globoplay.  Protagonista do longa “Muamba”, que estreou em 2009 e protagonista do curta metragem “Rio da Madre”, de Fábio Bruggemann, lançado em 2016. Ator e autor do monólogo “Quarentena”, que estreou em 2008 e teve uma segunda versão em repertório de 2013 até 2017. Ex-integrante do grupo de teatro Do Buraco Sai O quê?, onde atuou nos espetáculos de rua “A Prosa Delas Não é de Panelas” (2016 a 2019) e “Nós da Xêpa” (2015). Ex-integrante do grupo Fulanos de Bota, onde atuou nos espetáculos “Ecos Temporâneos” e “Instantes Urbanos” (2012 a 2014).

Isabelle Nassar (atriz)

Isabelle Nassar é atriz, performance, produtora e dramaturga. Pós-graduanda em Filosofia Contemporânea (PUC), formada pela Martins Pena, Bacharel Dramáticas em Artes. No teatro seus últimos trabalhos são: GRANDE SERTÃO VEREDAS – Dir. Bia Lessa; ERA MEDEIA – Dir. Eduardo Hoffmann e Sup. César Augusto, na qual além de atuar é a idealizadora do projeto com Eduardo Hoffmann; FIGO – Dir. César Augusto; LIMÍTROFE no TEMPO FESTIVAL – dramaturgia autoral; STUDIO CABARET VOLTAIRE – Sup. Jefferson Miranda, um intercâmbio entre artistas brasileiros e suíços do próprio Cabaret Voltaire; Radio Ativa – Dir. César Augusto; Sobre Nós; Desejo, O Mercador de Veneza; entre outros tantos. No cinema, protagonizou o longa DELICADEZA (estreia 2021) e integrou o elenco dos longas: A Intrigante Arte de Comungar e Hopekillers. Bolsista no Prog. de Iniciação Científica (PIBIC – O Corpo Cênico/Teatro Físico) do diretor Alain Alberganti. e integrou a 7o Oficina de atores CESGRANRIO. Autoras de diversas peças autorais como: Manifesto de Quem não Consegue se Manifestar, que se apresentou em locais como a Ocupação Ovárias e as vídeos performances autorais como, FIGO, indicado ao prêmio APTR de melhor espetáculo editado 2020, SUB.S.ANTIVO e VERDADES E MENTIRAS NO SENTIDO (EXTRA) MORAL para formato online.

Ficha técnica:

Texto e direção: Eduardo Hoffmann

Supervisão artística: Cesar Augusto

Argumento: Marina Monteiro

Elenco: Isabelle Nassar e Eduardo Hoffmann

Produção: Guilherme Nanni

Assistente de produção: Paula Magalhães

Iluminação: Renato Machado

Figurino: Tiago Ribeiro

Costura: Ateliê das Meninas (Maria e Zezé)

Concepção cenográfica: Cesar Augusto e Eduardo Hoffmann

Produção de adereços: Patrícia Ramos

Trilha sonora: João Mello e Gabriel Reis

Arte gráfica e identidade visual: Márcio de Andrade

Produção de vídeos: Celavi Filmes (Eduardo Paganini e Jamal Dizete)

Assessoria de imprensa: Rachel Almeida (Racca Comunicação)

Fotografia: Renato Mangolin

Realização: Eduardo Hoffmann e Isabelle Nassar, em parceria com Nanni Produções Artísticas.

Serviço

Espetáculo “Era Medeia”

Dias e horários: de 4/10 até 18/10, às 19h. Poderá ser acessado em qualquer dia e horário durante esse período.

Onde assisir: Canal do Youtube Firjan SESI (www.youtube.com/c/FirjanSesi)

Ingressos: gratuitos

Duração: 50 minutos

Classificação Etária: 14 anos.

Sobre paulobsbdetodos

Também confira

Cine Metro é recriado em documentário brasileiro inédito e inovador

Construído no Centro do Rio em 1936 e fechado desde 1997, luxuoso cinema da MGM …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *