Início / Educação / SENAI abre turmas de programação para pessoas com mais de 50 anos

SENAI abre turmas de programação para pessoas com mais de 50 anos

Hoje é Dia do Programador (13) e o SENAI lança cursos 100% on-line em Front End, Back End e Full Stack para público 50+. Formado em menos de 1 ano, profissional tem salário médio de R$ 3 mil e perspectivas de ascensão 

As pessoas com mais de 50 anos já são praticamente 1/5 dos trabalhadores de carteira assinada, segundo levantamento do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). Em um mercado de trabalho impactado pelas novas tecnologias e em constante transformação, é importante garantir que esses mais de 9,3 milhões de profissionais possam se requalificar para manterem seus empregos ou se recolocarem nas novas vagas que surgirem. 

É com esse objetivo que o SENAI lança novas turmas de programador exclusivas para o público 50+. Além da qualificação técnica em programação Front End, Back End e Full Stack, os alunos também vão receber formação em softskills voltadas para a área de tecnologia. O curso é mais uma iniciativa do Programa SENAI de Ações Inclusivas (PSAI), que contou com parceria da Longeva, consultoria especializada em longevidade e carreira. 

As inscrições estão abertas no marketplace Futuro.Digital. São três opções de formação, totalmente on-line e autoinstrucional com tutoria, o que significa que o aluno tem um prazo para concluir o curso, mas pode seguir seus horários e ritmo. As aulas começam em 25 de setembro. 

Opções de cursos: 

1) Programador Front End (348h) + Softskills TIC (40h) + módulo Longeva = R$ 792,52 

2) Programador Back End (450h) + Softskills TIC (40h) + módulo Longeva = R$ 1.250,21 

3) Programador Full Stack (670h) + Softskills TIC (40h) + módulo Longeva = R$ 1.520,00 

Mercado aquecido e ascensão salarial 

O macrossetor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) fechou 2022 com 2,02 milhões de postos de trabalho – desses, 117 mil foram novas vagas abertas no ano. O número corresponde a 4% dos empregos no país. Relatório anual da Brasscom revela ainda que o Brasil é o 10º maior em produção de TIC e Telecom no mundo e que a média salarial é 2,2 vezes maior que a média nacional. 

A programação é a base de todos os sistemas de tecnologia da informação, o que torna os conhecimentos na área e a profissão de programador a mais demandada pelo segmento. O salário médio de programador é de R$ 3.081,34, mas pode variar entre R$ 5.176,55 (nível técnico) e R$ 7.026,21 (nível superior). Os dados são da RAIS/MTE de 2021.

Sobre paulobsbdetodos

Também confira

Escola no Parque: Conectando crianças ao agronegócio

O projeto ‘Escola no Parque’, idealizado pela Feira AgroBrasília em 2022, representa uma oportunidade singular …